sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Você sabe responder se...


Diante da influência do humanismo e da relativização, questionamento, reinterpretação e até negação dos princípios bíblicos, vejo a necessidade de ouvir o que as pessoas pensam a respeito de alguns assuntos que, até bem pouco tempo, eram princípios absolutos entre o povo cristão.
Proponho colher este material, na tentativa de observar os efeitos entre a separação de políticas públicas e leis civis das crenças de cada um. 
Não é muito fácil pois a influência de uma a outra chega a ser muitas vezes indefinível. Até alguns que exigem igualdade civil reinvindicam a mesma igualdade em questões de fé onde não há conciliação, pois afeta diretamente o direito de consciência de um ou outro grupo. Concordo com o estado em não ser conduzido por questões de fé, mas a recíproca também deve ser verdadeira, desde que não afetem os direitos fundamentais do ser humano; o que vai acabar fatalmente acontecendo, pois os direitos humanos estão mais exigentes a cada dia. Basta um grupo considerável discordar de um pensamento e votar uma lei que ele vira um direito humano imediatamente. Basta alguém se sentir perturbado por algum pensamento e lá vai "lobby" e campanha para tornar ilegal a opinião do outro, sem se preocupar com a liberdade de pensamento. O ser humano anda muito "sensível", não quer ser contrariado. Como diz Millôr: "livre pensar é só pensar", quer dizer, você pode até pensar desde que não divulgue. Será que a liberdade desemboca na censura?
Como as mudanças e adaptações do estado são mais rápidas e voltadas e votadas para atender os interesses humanos, existe muito maior probabilidade de a crença ser violentada pelo estado do que o contrário.
As poucas perguntas que apresento tem o objetivo de conhecer as diretrizes, critérios e a fonte que formam a cosmovisão ética e religiosa de cada um. Sinto-me incapaz de formular um número adequado de perguntas e com relevância suficiente para atigir esse objetivo. Detenho-me em algumas poucas questões que me parecem básicas para aqueles que tem uma cosmovisão cristã, mas aceito sugestões de perguntas que venham mapear com mais nitidez a questão e que serão inseridas neste artigo à medida que surgirem. Este é um artigo vivo, metamorfoseamente vivo.
As questões partem de pressupostos cristãos mas você pode discordar deles.

Perguntas; se você puder explique a resposta:

1- Todos os seres humanos são filhos de Deus?

2- Você acha viável um culto ecumênico?

3- Deus é o mesmo de todos? O que você acha de duas religiões que cultuam um deus com pensamentos fundamentalmente antagônicos um ao outro?

4- Todos os caminhos levam a Deus?

5- Você acha que não é o importante o quê uma pessoa crê desde que creia em alguma coisa?

6- Qual a fonte das informações que nortearam as suas respostas e o que você acha que dá autoridade à esta fonte?

Pr Julio Soder

4 comentários:

Alexandre Pirola disse...

1- Todos os seres humanos são filhos de Deus?

R.: A princípio, somos todos criados por Deus. Para que o homem tenha poder de ser feito filho de Deus, considerar Jo 1.12; Rm 8.14, 16, 9.8; Gl 3.26; 1Jo 3.1...

2- Você acha viável um culto ecumênico?

R.:Não ! A maneira pela qual nos aproximamos de Deus e a Ele oferecemos sacrifício de louvor e adoração está contida em Sua bendita Palavra. Considerar Mt 6.24. Quaisquer outras doutrinas e “liturgias” devem ser consideradas anátema (Gl 1.9).

3- Deus é o mesmo de todos? O que você acha de duas religiões que cultuam um deus com pensamentos fundamentalmente antagônicos um ao outro?

R.: Sim, conforme Jo 3.31, Ef 4.6. No entanto, algumas pessoas decidem servir o adversário de nossas almas, sendo que Deus continua sendo sobre todos, eternamente. Na verdade, religião, segundo a conceituação bíblica é cuidar dos orfãos e viúvas em suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo (Tg 1.27). Quanto aos pensamentos antagônicos, eles servem para seus próprios fins. Há que se levar em conta, no entanto, que ninguém pode com a verdade senão pela verdade (2Co13.8), e a verdade é uma só – Jesus Cristo (Jo 14.6).

4- Todos os caminhos levam a Deus?

R.:Não ! Em sentido amplo podemos dizer que levam a Deus a Revelação Geral e a Especial(Rm 1). Em sentido estrito, Jesus Cristo leva a Deus (Jo 1.3, Rm 11.36).

5- Você acha que não é o importante o quê uma pessoa crê desde que creia em alguma coisa?

R.: Se analisarmos a questão do ponto de vista da salvação de nossas almas, importa sim o que crê uma pessoa. Esta fé deve estar alicerçada em Jesus Cristo. A salvação é pela fé na ressurreição deste Homem. Nenhuma outra crença poderá salvar o homem. Não há outro Nome, pelo qual devamos ser ser salvos (At 4.12).

6- Qual a fonte das informações que nortearam as suas respostas e o que você acha que dá autoridade à esta fonte?

R.: A maioria das informações está alicerçada na Bíblia Sagrada, documento cuja autoridade provém de Deus. Escrita por inspiração do Espírito Santo. Comprovada historicamente e confirmada pela arqueologia.

É claro que são respostas, a grosso modo, respondidas rapidamente sem completo embasamento bíblico e científico. O que pode ser feito a "posteriori". No entanto representam a essência de minha cosmovisão.

Volney Faustini disse...

Júlio, essa conversa é quente!

Creio que perguntas 1, 3 e 4 são dispensáveis - no sentido de não serem críticas no nosso mundinho gospel. A grande maioria se não tem convicção vai de maria ...

A 5 é muita boa, pois tem a ver com fé e espiritualidade - que, apesar de estar muito associada ao jeito de ser do cristão: crer e ter fé em Deus e em Jesus, tem nas outras manifestações distanciamento ... daí que não é que essa pergunta cai na 1, 3 e 4 - são os cristãos que caem lá! E se tornaram religiosos demais, crentes de menos, legalistas demais, missiológicos de menos, institucionais demais e Reino de menos!

A 2 é no meu modo de ver muito mais ligado ao perigo da resposta da 5 - ou seja o culto - o que é o culto? A reunião, uma manifestação publica ou particular de adoração a um deus ou a Deus? Se ecumenico queremos dizer culto publico - e aí não sou hoje nem a favor do culto ecumenico nem do desecumenico. vamos parar de fazer igreja - do jeito que estamos fazendo, please!! Isso nada tem a ver com o Reino. O Reino não é sobre vir à igreja é o Reino indo até as pessoas e resgatando-as

Bem isso dá um post - basta desenvolver he he,

E finalmente a 6 - apesar da Biblia reger a nossa fé, ela é totalmente utilizada de maneira sectária, distorcida, com altos viés e num estilo escolha e se sirva, que Paulo, Pedro, João e os outros estão se revirando no tumulo ... he he (piadinha infame, concordo).

Bem aqui também dá um outro post!!

Julio o caminho é esse - vamos parlando parlando ...

Eliel disse...

1- Todos os seres humanos são filhos de Deus?

Sim, todos são. Independente de raça cor, sexo e (pasmem!) religião.


2- Você acha viável um culto ecumênico?

Um culto ecumênico não é possível pela ignorância do homem, não porque Deus não aceitaria isso. Deus aceitará minha adoração, estando eu numa Igreja Evangélica, numa Mesquita Mulçumana ou num centro de Umbanda. Em João 4 (se não me engano) uma mulher pergunta isso pra Jesus e ele disse que não existe lugar para adorar, pois Deus é Espírito...


3- Deus é o mesmo de todos? O que você acha de duas religiões que cultuam um deus com pensamentos fundamentalmente antagônicos um ao outro?

Eu, após muito pensar, acredito que Deus e Allah são a mesma coisa. "Allah" nada mais é que "Deus" em árabe da mesma forma que "God" é dito em inglês. Eles também receberam promessas vindas de Deus por serem filhos de Abraão tanto quanto Isaque.


4- Todos os caminhos levam a Deus?

"Todos" não. Mas vários. É prepotencia demais achar que apenas minha religião está correta.


5- Você acha que não é o importante o quê uma pessoa crê desde que creia em alguma coisa?

Sim, acho. O primeiro passo para se crer em Deus é crer em algo, depois trabalhar o pensamento e seguir a cosmovisão mais coerente.


6- Qual a fonte das informações que nortearam as suas respostas e o que você acha que dá autoridade à esta fonte?

RAZÃO, posteriormente FÉ.

Ivan Santos disse...

Concordo com a posição do Alexandre Pirola.