quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Entrevista: Internet e suas implicações sociais


Na noite de ontem, no canal 21, aconteceu o programa Hora Brasil. O tema debatido foi a Internet, suas utilizações e implicações sociais.
O entrevistador, Pr Ronaldo Didini, tinha como convidados o consultor Volney Faustini, o editor Whaner Endo, o jornalista Sérgio Pavarini e o Pr Silas Malafaia.
Desde que tomei conhecimento das idéias dos três primeiros a respeito da mediocridade reinante no meio do povo cristão, eu discordava de muitos aspectos e ainda discordo de alguns. Achava eu que havia certa generalização, pondo-nos a todos, principalmente pastores, no mesmo saco. Mas assistindo o programa de ontem deu para concluir que, se não estamos todos no mesmo saco, esse saco está grande demais.
Apesar de, no meu entendimento, o saldo ter sido positivo, o programa poderia abordar questões mais pertinentes ao assunto. O Volney Faustini ainda consegiu falar um pouco e de forma cuidadosa e equilibrada sobre a necessidade de diálogo entre pais e filhos e de uma boa estrutura familiar para evitar o mau uso da Internet.
Parece que o clima, que estava armado, para detonar a Internet, dilui-se. Com o que se estava querendo provar acabaríamos culpando Deus por ter colocado o provedor do conhecimento do bem e do mal no jardim do Éden, responsabilizando-o pelo pecado.
Whaner Endo não foi nem de longe explorado no que sabia e foi limitado a falar um pouco de dispositivos de operação da Internet.
O pastor Silas Malafaia foi o que mais falou mantendo a tônica evangélica e pela entonação tem "cacoete de púlpito". 
Sérgio Pavarini, também pouco falou mas foi categórico e conciso, aproveitando bem as oportunidades.
Os participantes via e-mail foram na sua maioria, com exceções, bem pouco objetivos e relevantes. Pela natureza das perguntas e opiniões fiquei pensando, em dado momento do programa, que ali poderia virar uma sessão de aconselhamento pastoral.
Mas o grande destaque e estrela do programa foi o entrevistador. Ele matou grande parte do tempo do programa falando muito, respondendo ele mesmo as questões que deveriam ser dirigidas aos convidados. Acho que o entrevistador sofre de problemas de auto afirmação. Falou muito de si mesmo e entrevistou a si mesmo. Síndrome de Jô Soares.
Numa de suas falas, Sérgio Pavarini expressou com muita clareza, que a Internet está proporcionando uma democratização da voz, possibilitando questionamentos e levando os detentores do monopólio da comunicação (expressão minha) a pensar e evoluir, pois ninguém mais engole qualquer coisa.
Com toda a certeza os comunicadores há muito estabelecidos têm resistido às novas vozes questionadoras da Internet. Estão percebendo que estão prestes a perder o poder da última palavra. Há mais gente que pensa e eles sentem-se intelectualmente ameaçados. Nessa democratização da voz todos têm direito de opinar e de ter a sua opinião, pelo menos, respeitada. É uma faca de dois gumes: "Quem diz o que quer ouve o que não quer".
Já tenho sentido na pele o preço por manifestar o que penso. O povo ainda não sabe lidar com opiniões contrárias. Acaba levando para o lado pessoal e aí surgem as ofensas. Mas se alguém quiser me xingar, fique à vontade, pois ninguém pode me rebaixar mais do que a própria cruz já me rebaixou.
Só não posso dizer que sou o pior dos pecadores pois não estou buscando troféu...nem de pecador- mor. Os rankings, tanto positivos como negativos, são evidência de vaidade.
Apesar da minha visão do programa ter tantos aspectos negativos foi um bom começo. Temos um longo caminho a percorrer.

Pr Julio Soder


6 comentários:

Fábio [DoxaBrasil] disse...

É isso aí! Infelizmente, a televisão sofre do mal da "profundidade de pires"... Como jornalista, isso muito me entristece.
Quanto ao apresentador, Ronaldo Didini parece mesmo o Jô. Irrita, mas todo mundo assiste! rs... Ele deve se gabar de ter, em seu currículo, a proeza de conseguir 5 pontos no IBOPE na madrugada da Record, com o programa 25ª Hora (década de 90), quando ele ainda era pastor da Universal.
Mas, apesar das dificuldades com som e imagem, o programa tem seus méritos. Pelo menos eles têm coragem de chamar pessoas que pensam diferente para o debate. E, como é ao vivo, acho que são os convidados e os telespectadores (e-mail e telefone) que vão dar o tom do debate.

Um abraço,

Fábio

Volney Faustini disse...

Então eram vocês que estavam acordados ... e nos assistindo!

Julio, muito bem escrito e colocado e quero aproveitar para testemunhar que você tem sido bravo e corajoso. Acompanhei seus primeiros passoas e comentários no meio blogueiro. Percebi seu ímpeto em contribuir e colaborar. E vejo que você tem pego 'a mão' - compreendendo melhor esse mundo digital com uma visão sistêmica - que prioriza a floresta e não uma de suas árvores. E me alegro de você hoje ser parte integrante e imprescindível de nossa grande irmandade.

Seu cuidado, sua dedicação e sua preocupação - sempre focados no Reino de Deus, é inspiração pra muitos. Uma rápida recuperação para você em seu cuidar de sua saúde.

Bem, agora, já que somos maiores de idade - só falta nos conhecermos pessoalmente. Essa amizade (e fraternidade) nasceu na internet!!

;)

prjulio disse...

Volney,
Eu e minha esposa já pensamos, quem sabe, na possibilidade de um dia podermos ir aí e compartilharmos pessoalmente, sentados à roda, trajando um "colarinho".
Um abraço.

Dudu Bandeira disse...

É Júlio ! Não fiquei sabendo dessa "mesa redonda", mas pelo visto foi no mínimo interessante !

Gostei do seu blog ! Estou te adicionando aos meus favoritos e te linkando lá no Liberdade pela Graça também !

Um abraço do teu irmão paulista-cearense-que-mora-no-Rio-Grande-do-Sul !

prjulio disse...

Obrigado pela sua participação, Dudu.
Com certeza temos muitas coisas a compartilhar. O seu blog foi um dos primeiros que conheci e adicionei.

Um abraço do teu irmão gaúcho-rondoniense-que-mora-em-Minas-Gerais!

Volney Faustini disse...

Júlio
Vamos marcar um 'zona da reforma' especial - com ilustres visitantes e companheiros de (quase antiga) data ...