quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Falar é fácil


Aos 50 anos, depois de 15 anos servindo como missionário na Amazônia, carregando, internando e cuidando de viciados, prostitutas, ladrões e toda espécie de gente oprimida pelas trevas, estou em BH para tratamento médico. Aqui, também, os pecados e a opressão são os mesmos, mas é diferente. O tratamento médico me obriga a restringir as atividades e isto me possibilitou conhecer o mundo da internet, os blogs (até abri um), os artigos, mensagens e pensamentos de outros homens de Deus. Sinto-me, no momento, um troglodita. Não somente pela complexidade da tecnologia que agora estou tentando lidar, mas principalmente pelas idéias e pensamentos de algumas pessoas que escrevem nesses blogs. Fala-se com tanta facilidade e fluência sobre Deus, as Escrituras, revelação, missões e tudo o mais que se relaciona à obra de Deus. Fala-se e critica-se com uma facilidade de espantar e me dá a impressão que os autores são verdadeiros monstros da fé, pois eu creio que a autoridade e as palavras de alguém são testadas pela sua vida e obra. Pela quantidade e certeza do que falam devem ter feito muitas coisas e terem sido muito usados por Deus. Por isso desejo conhecer estes irmãos e aprender com eles, ouvindo-lhes o testemunho das coisas que, através deles, Deus em Sua misericórdia operou, para que a minha fé seja edificada e fortalecida. Quero olhar nos seus olhos e ouvir as suas experiências e as suas dores ao contarem ao que renunciaram para servir ao Senhor, as suas lutas contra o pecado e apelos da carne. Quero ouvir deles as derrotas e vitórias que tiveram na caminhada e serviço. Quantas e quais privações passaram. Ouvir quantas pessoas Deus permitiu que evangelizassem. Quantas discipularam e pastorearam. Quantos obreiros e líderes treinaram. Quantas congregações tiveram a oportunidade de fundar. Não que o número importasse, mas que quantidade de esforço foi feito, porque cada unidade dessas já é uma obra, um universo. Quantas e quais revelações tiveram de Deus e em quais situações e como Deus revelou. Quantos e quais milagres e provisões de Deus presenciaram. Pela quantidade de material escrito terei muita coisa a ouvir e ficarei como os crentes de Antioquia, quando Paulo voltava de suas viagens, não a ouvir pregações e sim o relato de quão grandes maravilhas Deus tinha operado através dele.
Quem quiser vir comigo não esqueça o lenço. Quando há autoridade e unção o uso do lenço torna-se inevitável.
Pr Julio Soder

3 comentários:

Volney Faustini disse...

São Julio!!

Uma explicação inicial - todos os canonizados no volneyf são santos ... he he

Ia até falar pra vc pra vc postar ... e aí. Muito legal!

A grande (talvez a primeira lição) da internet e dos mundos digitais que aprendi foi que: 'falar é barato mas o silêncio é fatal'.

E postei sobre a Catedral e o Bazar, aqui: http://volneyf.blogspot.com/2007/11/os-loucos-tomaram-conta-2.html

Vamos nessa que a revolução continua!! Fique na paz!

Érica Barreto disse...

Oi pr Julio.
Eu comecei a fazer um blog também, chamado Fé e Contexto, que hoje está vazio. Não sei se minha personalidade crítica (e autocrítica) é demais, mas eu mesma vi que eu mais acusava que falava sobre as obras de Deus, e mais falava que fazia as obras para Deus; resolvi deletar os posts. Me falta sabedoria para escrever, prefiri não fazê-lo até amadurecer. Pensei nisto depois que uma amiga disse que Jesus comia com pecadores e acusava os "pastores". Eu muitas vezes faço o inverso. Deus o abençoe e continue te usando para admoestação.
Abs

Eduardo Henrique disse...

Pastor Júlio
Paz, como sempre né, aquela palavra excelente. E como o Sr. mesmo escreveu: "Falar é fácil". Como diz aquele velho deitado: Falar de mim é fácil o difícil é ser eu. Fica na graça.