segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

O respeito pelo mistério


Ponderando sobre as regras de Deus para as questões humanas, devemos evitar dois erros comuns.
Embora a bondade de Deus (assim como a sua severidade) possa, às vezes, ser claramente discernida na história, outras vezes as causas dos eventos podem estar escondidas. Isto leva alguns a imaginar que os assuntos humanos rodopiem na confusa cegueira da sorte, enquanto outros falam como se Deus estivesse se divertindo, sacudindo a Humanidade para cima e para baixo como uma bola. Os cristãos, por sua vez, crêem que as deliberações de Deus estão de acordo com um motivo maior. Em todos os eventos Seu propósito é também testar a paciência do Seu povo, corrigir a sua imoralidade, domar a sua devassidão, reforçar a sua auto-negação, movê-lo da letargia – ou perturbar o orgulho e combater os planos do inimigo da nossa fé. Não importa o quanto Suas razões específicas possam escapar à nossa percepção, podemos estar certos de que as razões estão nEle. Então podemos exclamar como Davi: “Senhor meu Deus! Quantas maravilhas tens feito! Não se pode relatar os planos que preparaste para nós! Eu queria proclamá-los e anunciá-los, mas são por demais numerosos!” (Salmos 40:05). Dito isto, devemos também notar como Cristo declara que há algo mais nos desígnios de Seu Pai do que meramente o desejo de nos castigar. Pois ele diz sobre o homem cego de nascença: “Disse Jesus: ‘Nem ele nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele’” (João 9:3). Cristo declara que , se tivéssemos uma visão clara, poderíamos ver, mesmo neste caso, que a glória de seu Pai é brilhantemente mostrada. Logo, não podemos compelir Deus a prestar contas de seus caminhos mas, em humildade, respeitar seus juízos secretos. Por outro lado, quando surge este assunto, muitos expõem tolices monstruosas. Eles sujeitam as obras de Deus ao seu próprio raciocínio, presumindo conhecer Seus juízos secretos e fazem um julgamento prematuro de coisas que são extremamente misteriosas. O que pode ser mais irracional do que insultar os juízos secretos de Deus? Não é de se estranhar que tantos hoje em dia firam a doutrina da orientação divina com o veneno de seus dentes, ou a ataquem com suas injúrias. Nós, cristãos, somos justamente criticados por não estarmos cumprindo os mandamentos de Deus, nos quais a vontade dEle é compreendida de forma mais clara, e não simplesmente sustentando que o mundo seja governado por um Deus sábio. Certamente, até mesmo na Lei e no Evangelho, encontramos mistérios que transcendem a nossa capacidade de compreensão mas, quando Deus ilumina nossas mentes com um espírito de sabedoria, eles não são mais um abismo, mas um caminho no qual podemos andar com segurança – uma lâmpada para guiar nossos pés, uma escola da verdade clara e certa. Mas a admirável maneira que Deus usa para governar o mundo é justamente chamada de abismo porque, enquanto estiver escondida de nós, é para ser reverentemente adorada. Para citar Agostinho: “Assim como não conhecemos da melhor maneira todas as coisas que Deus faz a nosso respeito, devemos, com boa intenção, agir de acordo com a Lei”. Desde que Deus dá a Si mesmo o direito de governar o mundo, seja a nossa lei a humildade e submissão para aceitarmos Sua suprema autoridade. Esta é a única regra de justiça e a mais perfeita causa de todas as coisas – a ilimitada providência dominante, da qual nada flui que não seja correto, embora as razões possam ser ocultas. John Calvin é o autor de “The Institutes of the Christian Religion” (Os Princípios da Religião Cristã).

4 comentários:

Débora disse...

Gostei muito desse Artigo..Muito Interessante mesmo!!!Concordo e assino em baixo...
Deus abençoe...

Mayalu Moreira Felix disse...

Olá, Pastor Julio! Seu Blog foi premiado com o selo "Olha que Blog Maneiro!" Peço que você vá até o Blog da Maya (http://mayafelix.blogspot.com)e leia as condições da premiação e o que significa este selo! Ah, e também tem um prêmio!

:)

Maya

carmen disse...

Obrigada pela sua atenção lá no meu Blog...
Achei alguns comentários e posts muito simplistas com relação ao que aconteceu ao desabamento do templo da Igreja Renascer...

Colocamo-nos muitas vezes como juízes...

Abçs e mais uma vez obrigada!

Anônimo disse...

eu concordo em não tentarmos racionalizar os planos que dizem respeito a Deus.Mas também acho que não devemos espiritualizar de forma que ignoremos os aspectos que estão ao nosso alcance,simplesmente deixando nas mãos de Deus aquilo que cabe a nós.Acho necessario questionar, acho necessario buscar respostas a questões de Deus, mas de uma maneira que você não se torne céptico, nem um xhiita.Concordo que tem muita gente filosofando de mais pra coisas que requerem praticidade.Mas da forma que foi exposta agora da a entender que não devemos fazer nada, ficar de braços cruzados esperando que Deus cumpra seu plano em nossas vidas, como se anulasse a nossa parte a ser feita.