sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O mundo acaba em casamento...


Alessandro e Maita casam amanhã.
Os pais nunca estão preparados para verem os filhos casarem. Eles sabem que relacionamentos são difíceis e a adaptação um ao outro é constante. Mas têm dúvidas se os noivos sabem disso.
Creio que é por isto que Deus manda que deixem pai e mãe e fiquem longe da vista deles, para que eles não sofram vendo o entrevero que vai dar.
Namoraram cinco anos sob as vistas de metade dos pais, pastor e igreja. Tempo suficiente para que se conhecessem e ouvissem um sim de Deus.
Ela, gênio forte, sanguinea, fala muito, turrona.
Ele, aparentemente calmo, fleumático.
Opostos que a natureza testifica que se atraem. E o homem ainda teima em legitimar a pervertida homoafetividade.
Mesmo assim nenhum critério destes é garantia de sucesso e sim um coração quebrantado, perdoador, amoroso e submisso aos princípios de Deus.
Incrivelmente Deus não dá instruções muito detalhadas sobre o relacionamento conjugal mas enfatiza os princípios básicos da função de cada um; onde o homem é o cabeça da mulher e a mulher submissa ao marido. Apesar dos "feminismos" e "machismos" e exageros no cumprimento destes princípios, Deus sabe o que faz e este é o ponto de partida para um casamento santo, mesmo parecendo arcaico.
No reino de Deus sobre a terra Jesus revelou a Sua glória num casamento e tudo converge para um casamento entre o Senhor e a noiva Igreja; as bodas do Cordeiro está sendo preparada, numa grande festa.
"Não é bom que o homem esteja só"...
Além da confirmação divina, Alessandro e Maita têm também um elemento indispensável que os recomenda à união: Eles se amam.
Neste tempo de testes e provações esse amor sobreviveu e parece ainda mais disposto a enfrentar uma vida inteira com coragem.
Com certeza precisarão de ajuda e terão que ser humildes para procurá-la e aceitá-la; e pela graça e misericórdia de Deus eles têm referencial à volta.
Como pais, nossa oração é que amem a Deus e possam ouvir de seus filhos o que temos ouvido de nossos filhos estes anos todos: Que seus casamentos fossem como o de seus pais.
Como pais da noiva não recebemos um genro e sim um filho. É uma familia colorada recebendo um filho gremista. Espero que isto não seja contagioso.

Pr Julio Soder

9 comentários:

CRISTIANE disse...

Que Deus possa abençoar grandemente,os noivos, e que esse amor se renove a cada manhã.
Felicidades aos noivos.
Forte abraço.......

Anônimo disse...

Julio,

acho que alguém usou seu nome para escrever algumas alucinações no Blog de Julio Severo.

Confira, por favor. https://www.blogger.com/comment.g?blogID=10171607&postID=394734039766407457&isPopup=true

Roger disse...

Caro pastor Julio,

usaram seu nome e conta indevidamente no Blog de um tal de Julio Severo. Olhe lá!

Sonia Moura disse...

Parabéns,
Maitá e Alessandro
Parabéns,
Elenir e Pr. Júlio
Desejamos as mais ricas bençãos nesta união que não somente une o casal como uma so carne mas une duas famílias com laços especiais, e que assim possam ser numerosos e abençoados todos desta linda família. Desejo muitos netos Pr. Julio e Elenir
Amamos vcs, Francisco e Sônia.

pra.sonia disse...

Parabéns aos noivos, pais e familiares.
Desejo que esta união de famílias possa gerar uma grande população de cristãos abençoados! Tudo de bom, não é!!!!!!!!!!!!!!!!

Julie de Pádua disse...

Parabéns ao noivos !
Eu sou sanguinea tambem,,, entao sei como a Maita deve ser...
Deus vai honrar dia a dia voces !

Pr. Julio, parabens pelo texto, voce é de fato uma benção e eu tenho um prazer em acompanhar seu blog ! Graça e paz !
Julie

Julie de Pádua disse...

Parabéns aos noivos !
Eu também sou sanguinea, entao sei como a Maita deve ser...

Deus honrará vocês dia a dia !

Pr. Julio parabens pelo texto, é um prazer acompanhar seu blog !
Graça e paz !

carmen disse...

Pr Júlio, sei que não é fácil ver os filhos partirem para uma vida a dois, mas o que nos conforta é saber que Deus está no controle de tudo e está sempre pronto a nos socorrer... a todos (rsrs)

Acho que é por não ser bom que o homem esteja só, que eles acabam por morrer mais cedo, deixando as mulheres viúvas... fazer o que...

Volney Faustini disse...

Aos poucos vou me acostumando com a ideia de ter que - finalmente - soltar as filhas. De uma certa elas já estão em suas carreiras. Mas o seu testemunho é o caminho -não é o soltar e sim ganhar novos filhos ... até que fiquemos avos!